(Foto: João Alfredo Kleiner)

A Cirurgia de Catarata pela Facoemulsificação seguida do Implante de lentes Intraoculares Customizadas nos Animais

Muitos dos pacientes que chegam com o grau avançado de cegueira nas clínicas veterinárias são causados pela catarata. Essa afecção ocorre mais em cães e gatos.

O mestre e especialista em Oftalmologia Veterinária da Qualittas, João Alfredo Kleiner explica o principal fator que causa a doença nos caninos: a hereditariedade. Eles podem desenvolver também através de traumas oculares, uveítes, glaucoma e enfermidades crônicas, tais como a diabetes e hiperadrenocorticismo.  Nos felinos, segundo Kleiner, a perda da visão ocorre por uveítes originadas por uma grande gama de doenças sistêmicas. E nos animais selvagens, muitas vezes a opacidade do cristalino (catarata) é originada por deficiências nutricionais.

O único tratamento existente, com eficácia para a catarata, é sua remoção cirúrgica através de uma técnica denominada de Facoemulsificação. Kleiner alerta que o uso de colírios é totalmente contraindicado, pois além de caros, estes não devolvem a transparência da lente e não tratam a inflamação e o aumento da pressão intraocular, comuns em animais com a catarata.

Para a intervenção cirúrgica, João Alfredo Kleiner afirma que a idade do animal não interfere no procedimento, desde que o paciente esteja saudável. Ele descreve quais exames deverão ser avaliados antes da realização do processo cirúrgico:

  • Exame oftalmológico completo do paciente;
  • Exame de sangue completo com hemograma, coagulograma, uréia, creatinina, ALT, AST, glicemia, Gama GT, proteínas totais e frações;
  • Tratar os casos de infecção cutânea e profilaxia dentária (remoção de tártaro), pois são os maiores causadores de inflamações intraoculares;
  • Exame de ultrassonografia ocular para detectar anomalias do vítreo e retina;
  • Exame de eletrorretinografia para testar a funcionalidade do tecido retiniano.

A facoemulsificação, método idêntico ao utilizado na oftalmologia humana, tornou o procedimento cirúrgico muito mais rápido, com duração em até 45 minutos. O procedimento diminui o desconforto e a inflamação pós-operatória, pois consegue aspirar quase totalmente a catarata. Os cuidados pós-operatórios são compostos de uso de colírios e colar elisabetano.

João Alfredo Kleiner frisa que é necessário realizar a cirurgia de facoemulsificação o quanto antes para melhores resultados e maiores chances de implantar as lentes artificiais acrílicas e dobráveis especialmente desenvolvidas para animais. “A lente artificial é muito importante, pois além de devolver a acuidade, diminui a opacidade de cápsula posterior e os casos de glaucoma em longo prazo”.

Aqui você pode assistir um vídeo sobre o procedimento cirúrgico.

 

Acesse o site da Qualittas para saber mais sobre os cursos de Oftalmologia Veterinária e inscreva-se para aprimorar suas habilidades com o professor João Alfredo Kleiner.